VIDROS

1 - As estruturas atômicas de materiais podem não estar regularmente dispostas como em redes cristalinas. Estruturas deste tipo são denominadas amorfas ou vítreas.

2 - Este tipo de estrutura, entretanto, não é completamente desordenada. Ela é formada por blocos constitutivos dispostos de maneira desordenada. Porém a estrutura destes blocos é regular. Assim, pode-se dizer que as estruturas vítreas possuem desordem de longo alcance e ordem de curto alcance.

3 - Nem todos os materiais podem apresentar uma estrutura vítrea, porém todos os materiais que apresentam estrutura vítrea também apresentam estrutura cristalina. Pode-se dizer que a estrutura vítrea é uma fase metaestável e a estrutura cristalina é a fase estável.

4 - Óxidos que podem apresentar estrutura vítrea são ditos formadores de rede. Exemplos de formadores de rede são: SiO2, GeO2, P2O5 e As2O5. Outros cátions podem substituir os cátions dos formadores de rede, porém eles mesmos não conseguem formar redes vítreas.

5 - Em redes cristalinas, os blocos constitutivos formam arranjos regulares. Isto ocorre porque cada bloco está conectado a um número grande de blocos vizinhos, formando um arranjo tridimensional. Quando a conectividade de cada bloco constitutivo cai, torna-se possível que o arranjo de blocos não seja ordenado. A estrutura vítrea é então um arranjo tridimensional desordenado de baixa conectividade. Apenas alguns óxidos podem formar este tipo de arranjo. A figura a seguir exibe uma situação em que arranjos trigonais planares, como aqueles existentes em vidros de B2O3 estão interconectados, formando uma estrutura vítrea. Na situação real, a estrutura forma uma rede tridimensional e não planar, como a exibida. .



6 - Existem óxidos que, quando introduzidos na estrutura vítrea, diminuem a conectividade da estrutura, quebrando ligações entre os blocos constitutivos. Estes óxidos são chamados de modificadores de rede e abaixam a viscosidade do vidro. Exemplos destes óxidos são: Na2O, K2O, CaO, BaO.




Anterior | Índice Geral